Um cirurgião em prol da vida!

A revelação funk pop deste e de todos os momentos!
21/09/2020
De músico secular à regente gospel: O sucesso passageiro que virou permanente!
05/10/2020

Um cirurgião em prol da vida!

Mil novecentos e sessenta e oito. Um ano marcante em que se graduou este intrépido e valoroso homem, que sempre soube o seu valor e aonde queria chegar. Estamos falando do Dr. Juarez Moraes de Avelar. Um verdadeiro benemérito da medicina, nascido em Ituiutaba, no Interior do Estado de Minas Gerais, nos idos de 1942, em 23 de julho. E marcou o início da sua história em 11 de dezembro de 1968, quando a medicina foi contemplada com o brilhantismo desse aluno da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade da Guanabara (UEG) – hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Optando por fazer a sua residência e o seu curso de pós-graduação em cirurgia plástica na 38ª Enfermaria da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro e dali, aproveitou o seu talentosíssimo empenho, na Clínica Ivo Pitanguy de 1970 a 1972 onde, em decorrência disso, revolucionou o segmento.

Mas vamos recordar um pouco do período antes desse feito: em julho de 1967, quando o Estado da Guanabara abrigava o Distrito Federal, e ainda era considerado o menor Estado do Brasil, e Niterói, a Capital do Estado do Rio de Janeiro, o pródigo estudante Juarez Moraes de Avelar cursava o 5º ano da então Faculdade de Ciências Médicas da Universidade da Guanabara (UEG); mesmo assim, Juarez Avelar, como era conhecido na ocasião, ingressou e participou ativamente do Projeto Rondon durante as Operações I e II, de fevereiro a julho de 1968, e logo a seguir, voluntariamente, ele também se apresentou além da reitoria UEG, ao Ministério do Interior, para atuar como o 1º diretor do campus avançado da UEG em Parintins, no Estado do Amazonas, e lá permaneceu de Junho de 1969 até março de 1970. O Brasil, naquele momento passava por transições políticas severas, muitas situações ocorreram, entre elas, a explosão industrial.

E enquanto isso ocorria, ainda no 1º ano do curso de especialização, em 1970, Juarez Avelar ingressou na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica como membro aspirante, com a sua notória sagacidade, ele foi participando dos congressos anuais, e outros eventos contendo os temas da especialidade que escolhera. Durante o Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP em 1971, realizado em Salvador, no Estado da Bahia, onde ele fez a sua primeira apresentação de um tema livre sobre a “Reconstrução de Orelha Pós-Mordida Humana”, um acontecimento, repentinamente, “estartou” os seus conhecimentos ao longo de sua carreira profissional. E nos anos seguintes, o já Dr. Juarez Avelar ainda participou de outros congressos sempre com a apresentação de importantes temas científicos. Assim, em fevereiro de 1972, quando houve o primeiro congresso da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS) no Rio de Janeiro, ele apresentou o tema livre sobre “Hipomentonismo” e aí ingressou como active member e com toda a honraria.

Logo após a conclusão do curso de especialização em cirurgia plástica, de dezembro de 1972 a julho de 1973, este capacitado cirurgião seguiu fazendo um extenso e profícuo ciclo de estágios, em diversos centros de cirurgia plástica, em outros países, e dessa maneira foi se aprimorando com destacados especialistas, entre eles, o professor Ralf Millard, da Universidade de Miami, e os professores especialistas Thomas Rees e John Converse da Universidade de New York. Na sequência, ele participou de trabalhos com a professora Irene Fleming, da conceituada Universidade de Berlin – Klinikum Steglita Der Freien Universität. Dentro desse histórico, ele também estagiou com os professores Paul Tessier, do Hospital Foch, de Paris; o professor Raoul Tubiana, igualmente francês, mas do Instituto Ambroise Paré, em Paris; e ainda com os professores Claud Dufoumantel e Roger Mouly, estes do Hospital Saint Louis, também de Paris, além do professor John Mustardé, do Canniesburn Hospital, da Universidade de Glasgow, na Escócia. E aqui, cabe uma particularidade: naquela oportunidade, o Dr. Juarez Avelar participou, ainda, do III Congresso Europeu de Cirurgia Plástica em Madrid, em maio de 1973, e exatamente um mês após, já em junho de 1973, do II Congresso da International Society of Plastic and Reconstructive Surgery, denominado SAPS, em Jerusalém, Israel.

E regressando ao Brasil…

Na cidade de São Paulo, o Dr. Juarez Avelar se estabeleceu e iniciou as suas atividades profissionais como cirurgião plástico, criando o Instituto Científico Brasileiro de Cirurgia Plástica e Reparadora, que mais tarde foi denominado Instituto da Orelha “Professor Juarez Avelar”; e este, para promover o atendimento de pacientes portadores de deformidades auriculares, desenvolveu um intenso trabalho no campo científico, com publicações em revistas nacionais e internacionais, abordando sobre diversos campos da referida especialidade. Durante os anos 80, ele iniciou várias atividades deixando a sua grife na organização de eventos, e isso o impulsionou a conquistar a presidência da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) – Regional São Paulo, na gestão de 1982 a 1983, e, logo em seguida, como secretário-geral da SBCP na gestão de 1984 de 1985. E na etapa seguinte, o Dr. Juarez Avelar assumiu a presidência nacional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, por duas gestões: de 1986 a1987 e de 1990 a1991.

Para muitos, isso seria o suficiente, mas não para o Dr. Juarez Avelar, pois para ele, o bastante sempre significou pouco, porque o saber não ocupa lugar. Além de todas as atividades nas diretorias da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, ele ainda, simultaneamente, desenvolveu um amplo trabalho na Associação Paulista de Medicina como diretor de Defesa Profissional na gestão de 1990 a 1991, e a seguir como secretário, da Associação Médica Brasileira, nas gestões de 1992 a 1997. Em 2002, foi eleito presidente da Associação dos Ex-Alunos do Professor Ivo Pitanguy (AEXPI), durante a gestão de 2003 e 2004, e foi reeleito para o biênio 2005 até 2006. Mas este notório cirurgião não parou aí: ele ainda foi membro fundador da Associação do Professor Illouz (2005), que é uma entidade internacional, em homenagem ao professor Yves Gerard Illouz, o criador e divulgador da técnica de lipoaspiração no mundo; e para completar, foi eleito presidente em 2005 e reeleito em 2009 como presidente para o triênio de 2010 a 2012.

O Dr. Juarez Avelar, ainda se projetou como organizador, presidente e coordenador de 44 simpósios, congressos e jornadas de cirurgia plástica, além de outros temas sobre medicina e direito. Publicou mais de 80 artigos científicos em revistas e capítulos em livros nacionais e internacionais. Proferiu mais de 800 conferências em eventos de medicina e direito no Brasil, e em outros países. Esperamos aplaudi-lo em pé, quando este glorioso profissional, dedicado à ciência e à restauração auricular facial, Dr. Juarez Moraes de Avelar tomar posse de sua cadeira, na…

 

ABL – Academia Brasileira de Letras!

Original: Biografia Dr. Juarez Moraes de Avelar

Edição de Textos e Copy Desk: Theo G Fox,

editor da revista RECREIO em FOCO Digital.

×